Por que abandonar o termo “Black Friday”

Black Friday
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Já faz um tempo que nomear o período de descontos tradicional em novembro de “Black Friday” perdeu as forças aqui nas terras descobertas por Cabral. O fato é que, seja pelo apelido de “Black Fraude” ou pelo contexto mais atual relacionado a raça, por exemplo, o termo usado para descrever o modelo de descontos importado dos Estados Unidos deve perder ainda mais força em 2021.

Não há nada que comprove essa teoria, mas alguns pesquisadores relacionam o nome “Black Friday” à época em que pessoas negras eram escravizadas e comercializadas de acordo com questões como sua saúde ou porte físico. Escravos considerados “melhores para o trabalho” costumavam ser mais caros, por exemplo, enquanto outras pessoas com diferentes condições eram negociadas a preços menores.

Por essas e outras questões como o próprio desgaste do nome, grandes marcas nacionais como O Boticário e Natura têm usado diferentes títulos criados por elas mesmas para a campanha como “Beauty Week” e “Natura Friday”, por exemplo.

Além do período de descontos em novembro, datas como “Dia das Mães” e “Dia dos Pais” também são grandes oportunidades de realizar novas vendas e fazer com que mais clientes conheçam a sua empresa. Por isso, é válido aproveita-las, principalmente de forma original, incluindo o nome que você vai dar para a sua estratégia.

Pense nisso, reavalie a forma como você se comunica em períodos de promoções coletivas, mas também na rotina. Se precisar de ajuda, conte com a gente!

Sidnei Ramos

Jornalista e Gestor Empresarial que há mais de 10 anos trabalha com Comunicação Corporativa e acumula experiências em TV, Rádio e Assessoria de Imprensa.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn